Postado em: 16/12/2015

Taxa básica de juros mais alta afeta diretamente os financiamentos

O momento é de cautela, evite comprar financiado e pegar empréstimos

As taxas médias de juros cobradas no empréstimo pessoal subiram e do cheque especial recuaram em novembro, segundo pesquisa da fundação procon. Vai pesar no bolso, principalmente para quem fizer novas dívidas, não vale para quem já tem. Cartão de crédito, cheque especial, financiamento de veículos, tudo isso vai permanecer mais caro, pelo menos até a primeira quinzena de janeiro. "Os juros dos financiamentos seja ele qual foi seguem a taxa Selic, e esta taxa que é estabelecida pelo Banco Central está muito alta, está em 15%, informou a gerente de uma financeira da cidade, Regina Ferreira. 

Preste atenção também ao financiar um imóvel,  as regras mudaram e os juros estão salgados. "Atualmente não se financia 100% de um imóvel usado mais, os compradores conseguem no máximo 50% deste valor. Já se você comprar um imóvel ainda na planta ai sim você tem essa facilidade de financiar mais de 50% ou até 100% do imóvel", lembrou Regina. 

Já veículos e consignados estão com uma taxa "boa", mas isso segundo os especialistas depende muito do banco e do modelo do automóvel. E no caso dos consignados depende exclusivamente do Banco. Agora, não se deixe levar pelas inúmeras propostas de empréstimos e financiamentos que surgem nesta época do ano não. A recomendação das próprias financeiras é cautela e usar o dinheiro extra do mês para quitar dividas. "Já se sabe que para o ano que vem o índice de desemprego deve subir em média 16%, sem contar que janeiro tem muitos gastos, tem IPTU, IPVA, material escolar, e se você fizer um empréstimo agora ou mesmo um financiamento pode correr o risco de ficar endividado. Portanto a recomendação agora é mesmo de cautela", finaliza. 

Mais lidas