Postado em: 14/07/2020

Policiais Civis fazem manifesto contra a Reforma da Previdência em MG

Em Araxá, o ato ganhou o apoio da Polícia Penal.

Foto/Redação

Policiais Civis de todo o estado, realizaram nesta terça-feira (14), novo ato contra o tratamento desigual entre as polícias mineiras. Em Araxá, os policiais se reuniram na porta de 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araxá. O movimento reuniu policiais de várias cidades da regional em protesto contra a Proposta de Emenda  Constitucional – PEC 55/20, que altera o sistema de previdência social dos servidores públicos civis do estado e o Projeto de Lei Complementar - PLC 46/20  que cria a autarquia ‘Minas Gerais Previdência dos Servidores Públicos Civis do Estado.

“Trata-se de um movimento que vai muito além do que a simples defesa corporativa de direitos, mas, sobretudo, quanto à manutenção da integração das forças policiais no Estado”, destacou um dos organizadores do ato em Araxá, Delegado Renato de Alcino Vieira.

Durante o manifesto, os policiais civis em várias cidades mineiras, incluindo Araxá,  colocaram como prioridade a luta pela rejeição e arquivamento imediato das propostas. Na ocasião, eles solicitaram a suspensão das tramitações na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, além de pedirem respeito por parte do Governo Mineiro com a Polícia Civil.

A polêmica proposta previdenciária foi enviada pelo governador Romeu Zema à Assembleia Legislativa de Minas Gerais no dia 19 de junho por meio das presunções PEC 55/20 e PLC 46/20. Para a classe, os pontos mais polêmicos são o aumento das alíquotas de desconto sobre a remuneração do funcionalismo e a alteração da idade mínima para aposentadoria e do tempo de contribuição mínimo para requerer o benefício tanto para homens quanto para mulheres.

Em Araxá o ato também ganhou o apoio da Polícia Penal.

Mais lidas