Postado em: 10/08/2020

Projeto leva realidade virtual à Instituições de longa Permanência para minimizar os impactos do isolamento social

Ação é uma parceria do Uniaraxá com o Conselho Municipal do Idoso.

Foto/Uniaraxá

 

Embora a pandemia do novo coronavírus  tenha abalado milhões de vidas em todo o país, a população idosa foi particularmente a mais afetada, tanto pela suscetibilidade ao vírus quanto pelo impacto do isolamento em sua saúde social e emocional.

Por meio da realidade virtual, o Projeto Serenidade do Uniaraxá em parceria com o Conselho Municipal do Idoso - CMIA está adotando uma abordagem criativa para auxiliar nos impactos negativos ocasionados pelo isolamento social e pela falta de envolvimento emocional das pessoas com mais de 60 anos, impostas pela pandemia.

A Associação Lar Ebenezer foi beneficiada com esta ação da campanha Serenidade e envolveu seus residentes em sessões de realidade virtual completas com óculos e fones de ouvidos acoplados. Os aparelhos de última geração, são fornecidos pelo projeto de forma totalmente gratuita.

Como os residentes não podem sair e nem receber visitas devido às medidas preventivas para evitar a contaminação da Covid-19 é crucial mantê-los conectados e envolvidos em atividades que os estimulam, evitando assim, a ociosidade, ansiedade e o agravamento de sentimentos nocivos.  Levando em consideração que as visitas nas Instituições de Longa Permanência (ILPI’s) de Araxá estão suspensas, uma equipe formada por um enfermeiro, uma assistente social e uma fisioterapeuta foi devidamente treinada para operar os equipamentos e conduzir as atividades.

"É ótimo ver seus rostos iluminarem enquanto participam de algo novo, fazendo atividades que nunca fizeram, como sobrevoar a região do Barreiro de Araxá, Rio de Janeiro ou caminhar por Nova Iorque ou Paris”,  afirmou a diretora do Lar Ebenezer, Marisete Aparecida Augusto.

O intuito foi propiciar aos idosos uma viagem mágica a lugares emblemáticos com significado emocional, compartilhar histórias e se conectar emocionalmente com as memórias e com os desejos de conhecer novos lugares e ver diferentes pessoas. “Foram momentos de uma diversão agradável e moderna conseguindo promover através da realidade virtual visitas em locais de turismo que os idosos sempre desejaram ir como o Corcovado no Rio de Janeiro, Times Square em Nova Iorque, Palácio de Versalhes e o Museu do Louvre na França”, disseram os idealizadores.

 

 

Mais lidas