Postado em: 26/01/2021

37º Batalhão apresenta redução da criminalidade na pandemia

Homicídios tiveram redução de -20%.

Foto/Polícia Militar

O 37º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais é responsável pelo policiamento em Araxá e em mais 11 cidades da região, sendo elas Tapira, Sacramento, Perdizes, Pratinha, Santa Juliana, Ibiá, Santa Rosa da Serra, Conquista, Pedrinópolis, Nova Ponte e Campos Altos  e,  trabalha diuturnamente para proporcionar a segurança da sociedade. Para isso, são utilizados os seguintes portfólios de serviço: Radiopatrulhamento, Motopatrulhamento, Tático Móvel, Patrulha Rural, Base de Segurança Comunitária, Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica - PPVD, Videomonitoramento, Grupamento de Cães, Programa Educacional de Resistência às Drogas - Proerd, Teleatendimento 190 e Disque-Denúncia 181. 

“Com a dedicação e empenho dos militares que trabalham com esses portfólios tivemos no ano de 2020 uma expressiva redução no índice de criminalidade se comparado ao ano de 2019. Parte dessa diminuição criminal contou com o apoio da própria população através do disque denúncia 181, que é o instrumento de toda sociedade para se valer do direito à segurança e a paz”, informou o Batalhão. 

Em toda a área do 37º Batalhão a redução no que tange a crimes violentos foi de -35%, já os homicídios consumados tiveram uma redução de -20% e os tentados de -24%. A PM também apontou uma redução de -36% nas ocorrências de roubo consumado e de -44% nos roubos tentados. A redução nos casos de estupro consumado foi de -54% e de extorsão mediante a sequestro de -100%.  As prisões na área de circunscrição do 37º Batalhão somaram 5.077 em 2020.  Já em Araxá, se considerados os dados apenas da cidade, os homicídios tentados tiveram queda de -50%, seguidos da queda de -46% nos roubos consumados. A cidade também registrou cerca de 11 mil ocorrências e realizou mais de 5 mil operações policiais. 

Os dados de Araxá e da circunscrição foram comparados entre os meses de  janeiro e dezembro de 2020 com o mesmo período de 2019.  

 

Mais lidas