Postado em: 16/04/2020

Sebrae Minas oferece capacitações gratuitas e incentiva empreendedores a se reinventarem

Para amenizar impactos da pandemia da Covid-19, a dica é estar atento aos novos mecanismos e ferramentas de inovação.

Foto/Sebrae

Medidas preventivas vêm sendo adotadas, a fim de prevenir a propagação do Covid-19. Por serem necessárias e ao mesmo tempo exercitadas, a economia vem sofrendo consequências.

Uma pesquisa feita pelo Sebrae Minas mostrou que os impactos já estão sendo percebidos pelos empresários mineiros. O levantamento apontou que 89% dos empreendimentos de pequeno porte de Minas Gerais já registram queda no faturamento. Além disso, mais da metade dos donos de pequenos negócios mineiros pretendem pegar empréstimos para se manterem no mercado. “Lançamos várias campanhas, como “Em frente Empreendedor!”, “Compre do Pequeno” e estamos ministrando palestras online, oferecendo cursos, e-books, dentre várias outras atividades. Mas este é o momento de se reinventar”, aconselha o gerente da Regional Triângulo do Sebrae Minas, William Rodrigues de Brito.

A empreendedora Juliana Paiva Pereira conta que precisou rever suas estratégias para se manter no mercado. “Sou arquiteta e design e tive que me reestruturar para fazer todo o meu atendimento de forma virtual. Acredito que essa pandemia é uma oportunidade para sairmos da zona de conforto”, acredita. Ela alega que, com atendimento virtual, acaba barateando os custos, como o de deslocamento, infraestrutura da loja física, dentre outros fatores. “Já vejo retorno financeiro e, com certeza, vou deixar repensar essa forma tradicional de fazer as coisas. Migrar para o mundo digital foi uma dádiva e, provavelmente, vou investir mais neste formato futuramente”, pontua.

Juliana afirma ainda que, com o apoio do Sebrae Minas, está lançando novos produtos digitais. “Fiz cursos de Economia Criativa e vi que minha mentalidade era muito limitada. Não é porque sou arquiteta que devo restringir minha atuação a essa área”, observa.

 

Orientações

O gerente da Regional Triângulo do Sebrae Minas diz que neste momento o empreendedor deve renegociar com fornecedores seus débitos e, especialmente procurar seu contador, advogado e, ser for o caso, até mesmo seu gerente financeiro. “O banco deve ser consultado sobre as linhas crédito disponíveis, além de prazos e taxas. É fundamental atentar para estes detalhes neste momento”, orienta Brito.

Ele ainda destaca que o Sebrae ampliou os recursos no Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas – Fampe.  “Não é uma linha de crédito, mas acesso a garantias eventualmente não disponíveis para o empreendedor de pequenos negócios”, concluiu.

Mais informações no www.sebrae.com.br/minasgerais.

 

Mais lidas