Segunda Feira, 18 de Dezembro de 2017
 
 
Principais patrimônios históricos de Araxá poderão ser revitalizados
18-07-2017 | Créditos: foto/ ascom prefeitura

A Prefeitura planeja revitalizar e restaurar o prédio da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB) e do Museu Histórico de Araxá – Dona Beja. O orçamento financeiro previsto para a elaboração dos projetos é de R$ 258 mil, sendo R$ 120 mil para as melhorias, restaurações e reformas que serão efetuadas na FCCB, e R$ 138 mil relacionados à restauração e revitalização do Museu Dona Beja. Ambos os projetos seguem normas do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA), fundação vinculada sem fins lucrativos à Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), instituição federal ligada ao Ministério da Cultura, e trabalharão a questão da acessibilidade.
Os projetos serão assinados pela arquiteta Zenóbia Vanda Gryzbowaki (Zica), de uma empresa especializada de  Belo Horizonte.  A presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB), Annette Akel, ressalta que a empresa tem 30 anos de mercado. “O currículo da empresa passou por uma análise da Procuradoria Geral do Município e teve dispensa de licitação. A empresa já fez o esboço dos projetos e, agora, com os contratos já assinados, ela entra na fase de elaboração, que é de 3 a 4 meses, pois envolvem dois bens tombados. Feitos os projetos, enviaremos para o Ministério da Cultura via Lei Rouanet, onde passarão por etapas de análise, pareceres, dentre outros itens. Caso haja a aprovação dos projetos, o que esperamos que aconteça pelo nível de planejamento e respeito às exigências que apresentaremos no mesmo, faremos então a captação do patrocínio”, relata a presidente.
Projeto de Restauração, Adequação e Revitalização do prédio da FCCB
De acordo com o parecer técnico, assinado pela arquiteta Zenóbia Vanda Gryzbowaki (Zica), concluído após visita técnica na Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB), foi relatado que “é necessária uma revitalização da edificação e também a criação de infraestrutura para realização de eventos na sua área externa”.
O parecer técnico aponta os seguintes componentes a fazerem parte do projeto: pisos de madeira, ladrilhos e cimentado revisados; revisão na cobertura para conter vestígios de águas pluviais; revisão e recuperação dos forros de madeira e das esquadrias (denominação para as janelas, portas ou portões, venezianas e aberturas similares); pintura das alvenarias e dos elementos em madeira e reparos também em equipamentos elétricos e instalações hidráulicas. Outro item importante contemplado no projeto é a acessibilidade. Esta parte caberá um estudo criterioso.
Annette Akel pontua que o parecer técnico foi o pontapé inicial para começar o planejamento do projeto, seguido de execução das obras de revitalização da FCCB. “Nós iremos fazer a restauração e a revitalização do prédio da Fundação Cultural Calmon Barreto, um prédio histórico de 91 anos de idade. Os principais pontos turísticos da cidade são os nossos bens tombados. Portanto, a restauração e a revitalização se fazem muito importantes nesse processo”, destaca a presidente da FCCB.
Projeto de Restauração e Revitalização do Museu Dona Beja
A arquiteta Zica também se manifestou sobre os itens que seriam necessários para constar no projeto de restauração e revitalização do Museu Dona Beja, através do parecer técnico. Revisão nos forros de madeira, nas esquadrias e nas escadas também de madeira, infiltrações, equipamentos elétricos, reparação das instalações hidráulicas e a questão da acessibilidade são alguns itens previstos no projeto. “Podemos concluir que se faz necessária uma revitalização do Museu Dona Beja como um todo, na forma de mostrar a sua importância para a cidade e região, e consequentemente, atiçar a curiosidade da população e do turismo em geral”, constata o parecer técnico da empresa.
Annette Akel pondera que o projeto é histórico para cidade de um modo geral. “Considerando que o museu passou a ser nosso a partir de abril desse ano, finalmente somos donos dessa parte da nossa história, então, ele será restaurado pela primeira vez como propriedade do município. A aquisição do Museu Dona Beja pela Administração Aracely de Paula é um momento histórico. Quando você reforma, restaura e embeleza o patrimônio, ele muda a cara da cidade positivamente e é muito mais convidativo para atrair os turistas e dar orgulho aos araxaenses. Nós não podemos passar diante dos patrimônios históricos com suas portas fechadas sem sentir constrangimento e vontade séria de tomar atitude em favor deles. Eles têm que estar em harmonia com tudo que a atual gestão vem realizando, ou seja, à altura dos feitos da administração”, conclui a presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB), Annette Akel.

 

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins