Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017
 
 
Polícia Civil mantém nos pátios veículos apreendidos no Barreiro
22-09-2017

No dia 16, por volta da 01h50, na Avenida do Contorno, na região do Barreiro, a Polícia Militar realizou a prisão de 17 indivíduos que participavam de evento não autorizado, nem comunicado às autoridades públicas com autoridade sobre a via pública, tendo entre as condutas ilegais detectadas, a prática de direção perigosa na condução de veículos automotores.

O procedimento foi recebido e formalizado na Delegacia de Polícia de Plantão, decidindo a autoridade policial plantonista pela lavratura do termo circunstanciado de ocorrência. Foi agendada audiência, os autores assumiram o compromisso de comparecer e, em seguida, foram liberados.

A Delegacia de Trânsito foi procurada por alguns dos proprietários que requereram a liberação dos veículos. O Delegado responsável, Renato de Alcino, indeferiu os pedidos de restituição, com o argumento de que estas condutas devem ser reprimidas.

De acordo com o Delegado, em Araxá é perceptível a existência de um grupo de condutores que se propõem a afrontar as regras estabelecidas no Código de Trânsito Brasileiro e seus regulamentos, como condução de veículos com características alteradas, abuso de som automotivo, arrancadas, acrobacias em motocicletas, direção perigosa, condução de veículos sob a influência de álcool, fuga de local de acidente, dentre vários comportamentos acintosos que causam lesões e mortes de pedestres e outros motoristas.

Dr. Renato cita, por exemplo,  que no mesmo dia da operação policial, no sábado, a menos de 20 horas do ocorrido, um motorista, conduzindo um automóvel, atropelou uma criança de dez anos, ferindo-a e, em seguida, fugiu sem prestar socorro. “Esse não é um fato isolado. Já foram mais de 10 mortes no trânsito neste município, inúmeras prisões em flagrantes por crimes de trânsito, muitas delas que resultaram em procedimentos enviado a esse juízo”, afirmou.

O delegado completou, dizendo que o comportamento nocivo de determinados motoristas precisa ser interrompido. “Exijo que o Estado, em favor da liberdade, tranquilidade, integridade física das pessoas e da incolumidade pública, assuma uma postura que demonstre não tolerar essas condutas”.

No caso em análise, foi avaliado que além de crimes de trânsito, os proprietários de veículos e condutores violaram outros regulamentos, em especial, a realização de um evento sem comunicar as autoridades públicas. As pessoas que estavam no local foram identificadas e presas pela Polícia Militar porque, de certa forma, contribuíam e incentivavam o comportamento nocivo que os órgãos de segurança pública lutam diariamente para coibir.

“As plateias que se formam em torno destes grupos dão origem a outras figuras delituosas, que não podem ser desconsideradas. Araxá é conhecida por ser uma cidade agradável, receptiva, hospitaleira, ótima para se passar os finais de semana, em especial, na tranquila região do Barreiro. Esse ar de paz e sossego é atrativo de turistas de diferentes cidades. A situação identificada pela Polícia Militar, sem dúvida, configura total afronta a essa expectativa das pessoas que ali frequentam, trabalham e residem. Promover essas arrancadas, rachas, encontros sem comunicação da autoridade municipal de trânsito, incentivando algazarras, abusos de equipamentos sonoros e outros tipos de incomôdos, configura, ainda, perturbação da tranquilidade”, arrematou Dr. Renato.

Por último foi avaliado o comportamento de alguns dos autores, que divulgaram fotos tiradas no interior da sala de registros de ocorrência da PM, o que, para o delegado, configurou afronta e tentativa de desprestigiar o trabalho dos militares.

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins