Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017
 
 
Polícia Civil terá concurso para delegado
20-10-2017 | Créditos: Susana Cardoso

O edital deve ser publicado até dezembro. Serão disponibilizadas 76 vagas no estado de Minas Gerais

 

O Governo de Minas Gerais, através da Polícia Civil (PCMG), iniciou na terça-feira (17) os trâmites necessários à realização de novo concurso público para delegado de Polícia. Inicialmente, serão oferecidas 76 vagas para reforçar o quadro de pessoal das delegacias no estado. A expectativa é que o edital do certame seja publicado até dezembro deste ano.

            A viabilidade da contratação de novos servidores foi analisada pela Câmara de Orçamentos e Finanças da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), que observou as restrições impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para se chegar a um número possível de vagas. 

“A autorização para a realização do concurso da Polícia Civil demonstra o compromisso do governo de investir em segurança pública. Apesar das limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, estamos fazendo todo esforço possível para a recomposição do quadro de servidores que durante a última década foi sucateado”, afirma o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães.

Para o delegado da 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil, dr. Vítor Hugo Heisler, a Comarca de Araxá tem carência de quatro delegados e o município de Campos Altos está sem delegado. Ele espera que após realizado o certame essa demanda seja suprida.

          “Há um tempo que a Polícia Civil vinha aguardando a realização desse concurso. Inicialmente, seriam abertas vagas para delegado e escrivão, mas foi autorizado apenas para delegado. Acredito que até fim do ano já tenha início a realização do concurso. A carência de delegados no estado é muito grande, porém, inicialmente serão disponibilizadas apenas 76 vagas, de acordo com o que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal. Mas eu acredito na possibilidade de um aumento nesse número. Este concurso irá ajudar, e muito, a Polícia Civil em termos de efetivo, apesar de não ser o ideal”, analisa o delegado.

      Perfil do candidato

Já faz cinco anos que não é realizado concurso para delegado de polícia. O último foi em 2012. O candidato a esse cargo precisa ser bacharel do curso de direito e ter o perfil da função, segundo dr. Vítor Hugo. “É uma profissão que exige muito desprendimento, coragem e tem características muito específicas. Se a pessoa não se encaixar, é melhor que nem faça o concurso, com pena de abandonar a carreira depois. Precisa estudar muito, porque é um concurso bem difícil, e ter foco. As provas são realizadas em Belo Horizonte, em várias fases, conforme o edital.”

Na 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araxá há uma grande carência de efetivo, segundo o policial. Além de delegados, há necessidade de mais escrivães e investigadores. “Tivemos cerca de 17 investigadores que saíram ou se aposentaram nos últimos anos. Precisamos também de novas viaturas, porque as que temos estão em péssimas condições de uso e se não fosse o apoio do Judiciário, até inviabilizariam o trabalho. O ideal é que Araxá tivesse na sede cerca de 60 investigadores, pois esses profissionais não trabalham só na linha de frente, mas também no trânsito, banca do Detran e vários setores administrativos. Hoje nós temos em torno de 18 servidores, em todas as funções. Mesmo assim, a Polícia Civil realiza bom trabalho, graças ao desprendimento dos investigadores, que são extremamente profissionais, dedicados, que doam o seu tempo trabalhando em prol da sua profissão, muito além da sua carga horária. São pessoas que moram aqui e querem que a população tenha qualidade de segurança”, explicou o delegado regional.

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins