Segunda Feira, 18 de Dezembro de 2017
 
 
CIDADÃOS DO MUNDO
16-11-2017 | Créditos: Susana Cardoso

Uma experiência marcante, que já faz parte da vida de uma centena de pessoas em Araxá, através do Programa de Intercâmbio do Rotary Club. Jovens de 15 a 19 anos podem se inscrever e, se forem selecionados, terão cerca de um ano de vivência em outro país, morando com outras famílias, falando outro idioma e conhecendo uma cultura totalmente diferente.

Os Rotary Clubs patrocinam o programa em mais de 100 países. O intercâmbio de longa duração cobre todo o ano letivo. Os participantes moram com diferentes famílias anfitriãs e estudam em escolas locais.

A coordenadora de Inbounds do Distrito 4770 do Rotary Internacional, Sueli Maria Rosa, conta que a seleção é feita no final de outubro e princípio de novembro . Os selecionados viajam no mês de agosto do ano seguinte. “Neste ano nós enviamos oito pessoas de Araxá e recebemos seis de outros países, mas vamos receber mais dois ainda. Uma vez por ano vai um grupo e em troca vem outro, com o mesmo número de pessoas”, informa.

A seleção dos intercambiários é realizada através de uma prova de conhecimento sobre o Rotary, inglês, conhecimentos gerais, redação, psicotécnico e uma entrevista. Nos outros países também é feito o mesmo treinamento e seleção. “Eles chegam no mês de agosto e ficam até junho ou julho do ano seguinte, quase um ano. A finalidade principal do Rotary Club é promover a paz mundial”, explica Sueli.

Segundo a coordenadora, o intercâmbio funciona da seguinte forma: no momento em que é feita a seleção do candidato, este apresenta a família dele e mais três famílias. Essas quatro famílias irão receber os intercambiários de outros países. É realizada uma seleção para verificar se a família tem condições de receber esse estudante estrangeiro. Ele fica nas quatro famílias, de três a quatro meses em cada. Pode ocorrer de o estudante não se adaptar à família anfitriã e aí é feita a mudança imediata dele para outra família e até para outra cidade, dentro do distrito, caso o intercambiário não se adapte.

Além de conhecer a cidade de destino, o estudante pode viajar pelo Rotary, através de uma empresa de turismo, e eles são acompanhados durante a viagem por pessoas preparadas. “É uma experiência muito rica, porque além de aprender sobre a cultura do país eles aprendem sobre os países dos colegas. Estados unidos, Alemanha, índia e México são as nações que mais recebem araxaenses, mas já enviamos jovens também para Filipinas, Bélgica e França”, relata Sueli.

 Quanto custa participar?

As despesas são por conta da família. Às vezes pode variar, porque há estudantes que gastam mais com coisas pessoais, festinhas, lanches. O mínimo de despesas com o Rotary é cerca de R$ 7 mil com treinamento e administração da equipe. Além desse valor, há custos adicionais com o blazer, seguro saúde, fundo de emergência, fundo de sucesso, passagens aéreas, despesas pessoais,seguro-viagem, despesas com passaportes e vistos, gastos durante o intercâmbio e qualquer viagem ou excursão adicional. De acordo com a coordenadora do Rotary Araxá, a soma pode chegar a R$15 mil ou R$20 mil, dependendo de quanto a família pode gastar.

Para se inscrever no Programa de Intercâmbio, o candidato precisa ter de 15 a 19 anos e contatar o Rotary Club para saber que opções estão disponíveis e obter mais informações sobre o processo seletivo. Hospedar um estudante também é uma experiência interessante. As famílias anfitriãs oferecem estadia e compartilham seu dia a dia com os participantes do programa, envolvendo-os em atividades familiares, comunitárias e culturais. Todas as famílias passam por triagem e treinamento.

 

Veja alguns depoimentos de estudantes que estão participando de intercâmbio em Araxá pelo Rotary Club.

 

Leila Alegre, 19 anos. Buenos Aires, Argentina.

Eu estou há sete meses em Araxá e retorno no dia 31 de dezembro. Fiz muitas amizades aqui, passei por duas casas e ainda vou ficar em mais uma. Araxá é uma cidade tranquila, gostei muito. Gostaria de morar aqui. 

Bhavia Adesara, 20 anos, Índia.

Estou em Araxá há cinco meses, na segunda casa. Tenho tido muitas experiências com os outros intercambiários. São costumes muito diferentes. Eu falo inglês e o meu idioma oficial, o hindi. É difícil aprender a língua deles, mas mesmo assim a gente consegue fazer amigos. Eu gosto de cidades pequenas, como Araxá, mas queria morar em uma cidade grande.

Maximilian Sutthus, 17 anos. Kropp - Alemanha.

Eu gosto muito de Araxá, principalmente do clima. Na Alemanha é frio. Nós não comemos arroz e feijão todo dia. Na culinária, o que eu mais gostei aqui foi de açaí, churrasco, bolos, pão de queijo.

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins