Segunda Feira, 18 de Dezembro de 2017
 
 
Projeto Castração Evolução: Em defesa da causa animal e contra a superpopulação de cães e gatos nas ruas
01-12-2017 | Créditos: Susana Cardoso

O inconformismo com a situação de abandono e maus tratos aos animais de rua fez surgir o Projeto Castração Evolução, da funcionária pública estadual Ludmila Antunes Faria, que através de equipes de voluntários já castrou mais de mil cães e gatos em 30 mutirões. O objetivo, segundo ela, é reduzir a superpopulação de animais na cidade e conscientizar as pessoas a respeito dos benefícios da castração.

A ideia surgiu quando Ludmila trabalhava como voluntária em um abrigo de Araxá e podia perceber que a quantidade de animais abandonados e maltratados era muito grande. Ela resolveu, então, com apoio de veterinários, realizar o mutirão de castração, que foi só crescendo. A partir daí, veio a necessidade de regularizar a atividade, e foi criada a Associação de Castração.

Participam do projeto veterinários de Araxá, de Uberlândia e voluntários em geral, pessoas comprometidas com a causa animal. Os mutirões acontecem sempre através de inscrição, em ficha própria. Com data marcada, os donos dos animais devem se encaixar nos requisitos do projeto, que são: ter mais de dois animais em casa, sendo mestiços ou sem raça definida (SRD) e não ter condição de pagar a cirurgia particular (comprovado através de questionário sócio econômico). A prioridade no processo de castração é de animais de rua e de protetores.

Já foram castrados, pelos mutirões, 1044 animais, mas o projeto atende também animais de rua e de protetores, que são atendidos em clínicas conveniadas. São castrados, em média, 15 fêmeas por mês na Clínica Animale.

         Para sustentar o projeto, nenhum recurso provém dos órgãos públicos e o único apoio financeiro de empresa vem da Farmácia Dríade e do convênio da Clínica Animale, que opera com preços abaixo do mercado. O Castração Evolução se mantém através do bazar literário e vendas de produtos, como camisetas e canecas.

Mesmo sem apoio financeiro e com poucos recursos, Ludmila mantém firme o propósito de evitar que um crescente número de cães e gatos seja deixado nas ruas todos os dias, abandonados à própria sorte, correndo o risco de adoecerem e serem atropelados ou maltratados, por falta de responsabilidade, crueldade, falta de condições ou inabilidade dos seus donos.

Depois de quatro anos de atuação em Araxá, o Projeto Castração Evolução se prepara para expandir suas fronteiras. “Atualmente fizemos uma parceria com veterinários e voluntários de Uberlândia, para onde o projeto estenderá suas atividades, e os veterinários de lá atenderão Araxá. Queremos que o projeto cresça mais ainda, através de parcerias com outras cidades”, informa a servidora, e emenda: “E quem sabe possamos conquistar uma sede própria para realizar os mutirões aqui na cidade? Nosso grande sonho!”

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins