Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
 
 
Cidade discute reflexos da paralisação dos caminhoneiros
30-05-2018 | Créditos: foto/ ascom prefeitura

A greve dos caminhoneiros deixou  autoridades de Araxá em estado de alerta, mas a situação no município caminha para a normalidade. Na tarde de ontem,  terça-feira (29), o  Prefeito  Aracely  de Paula e os secretários municipais   se  reuniram com representantes das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Copasa.

O Tenente Coronel Fernando Marcos dos Reis, Comandante do 37º  Batalhão da Polícia Militar,  esclareceu que diversas ações foram implementadas para a tranquilidade dos trabalhos. Existiam dois pontos de bloqueio na cidade, começou com 400 caminhões e hoje tem cerca de 30. Há a participação direta da comunidade oferecendo ajuda e as pistas já estão desobstruídas.

Os veículos do Corpo de Bombeiros também foram abastecidos com apoio da prefeitura. Foram restringidos os trabalhos de vistorias e continuam atendendo os chamados de urgência e emergência.   A perspectiva, segundo o Comandante é de melhora a partir desta quarta-feira com previsão da rotina ser retomada em mais ou menos nove dias. “Tudo está transcorrendo de forma até tranquila, principalmente por contarmos com efetivo apoio da Administração Municipal, diante da expectativa de que a situação estava pior”, ressaltou.

Sobre o tratamento de água, a Copasa divulgou que há estoque do produto para prestação do serviço por até 12 dias. Se faltar cloreto em Araxá, a empresa recorrerá às cidades vizinhas que tem estoque sobrando.

Pela Polícia Civil, o Delegado Regional Vitor Hugo Heisler, informou que em Araxá, diferente dos outros municípios, contam com a participação direta da prefeitura. Os funcionários cedidos pela Administração Municipal estão fazendo os serviços internos e essenciais. A banca está funcionando normalmente, assim como demais serviços da polícia civil.

O prefeito reforçou que a Administração Municipal está à disposição quanto ao uso dos equipamentos tentando evitar qualquer medida que venha traumatizar o contexto para não agravar a situação diante da população. 

Um exemplo são as escolas da rede pública municipal que ficaram sem aulas apenas um dia. “Agradeço o apoio, a agilidade e o trabalho intenso de todos, lembrando que nenhum órgão deixará de atuar por falta de apoio”, finalizou.

 

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins