Quarta-Feira, 21 de Agosto de 2019
 
 
Polícia Civil apreende caminhonete envolvida em crime de trânsito grave
25-07-2019 | Créditos: Polícia Civil/Detran Araxá

Nesta quinta-feira (25), policiais civis cumpriram um mandado de busca e apreensão de uma caminhonete Fiat Strada Adventure, cor cinza, ano de fabricação 2010. O veículo estava em uma moto-pista, situada na Avenida José Ananias de Aguiar próximo a rotatória com a Avenida Geraldo Porfírio Botelho.

O veículo foi identificado como aquele que era dirigido por um motorista que, depois de uma discussão de trânsito, teria interceptado um motociclista na semana passada (dia 18 de julho), na Avenida Imbiara, sentido Bairro-Centro, próximo a rotatória da Praça Dom Bosco. O motorista da caminhonete fugiu sem prestar socorro e não se apresentou à polícia. O motociclista foi socorrido e encaminhado à unidade de Pronto Atendimento Municipal (UPA).

De acordo com a Polícia Civil, a partir do Sistema De Videomonitoramento Municipal e de câmeras de segurança particulares, foram colhidos indícios de que o motorista da caminhonete teria acintosamente provocado à queda da vítima, causando-lhe ferimentos. Também foi possível identificar alguns caracteres das placas da caminhonete, a partir deles os policiais identificaram o veículo.

A pessoa investigada, o atual dono da caminhonete, é proprietário de um Centro de Formação de Condutores (autoescola). “Durante a apreensão do veículo, ele negou aos policiais ter fechado ou de alguma forma interceptado e derrubando o motociclista. Alegando que, momentos antes, teria ocorrido um atrito de trânsito entre os dois, sendo que o motociclista quebrou o retrovisor esquerdo da sua caminhonete com uma pesada. O investigado disse que apenas perseguiu a motocicleta para anotar a placa”, contou o Delegado de Trânsito, Dr. Renato de Alcino.

A Polícia Civil colhe provas para verificar se o crime foi culposo ou doloso, ou seja, se foi um crime de trânsito praticado sem intenção ou um ato deliberado contra a vida e integridade física da vítima. Se confirmada a intenção, o investigado poderá responder por homicídio tentando, cuja pena tende a ultrapassar dez anos de reclusão.

 

Falta de transferência e comunicação de venda ao Detran envolveu nome de ex-proprietário da caminhonete na investigação.

 

***A reportagem completa você confere neste sábado, 27 de julho.

Jornal Correio de Araxá - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Juliano Martins